Respiração consciente

Da autoria do Dr. Steven Smith (Stevo)
 

O Sopro da Vida

O sopro mágico da vida começou no momento em que nasceste e vai continuar até que deixes este planeta. Respirar é tão primário à nossa sobrevivência neste planeta – e uma coisa que temos feito durante tanto tempo – que nem sequer pensamos conscientemente sobre isso. Toda a gente pensa que respira bem mas demasiadas pessoas respiram de maneira deficiente. Isso cria uma grande quantidade de sintomas a nível físico, mental e espiritual. Muita da nossa saúde espiritual e física depende da maneira como respiramos.

De todas as escolhas de vida que podes fazer para optimizar a saúde, tal como exercício e dieta, nenhuma tem tanto impacto, fisicamente e espiritualmente, como mudares a maneira COMO respiras. A respiração consciente é uma actividade simples que pode ser praticada mesmo por aqueles que não estejam em boa condição física. Embora eu use o termo “simples” para descrever esta actividade, eu não estou a dizer que é uma coisa fácil de fazer. A mente tende a distrair-se e a correr atrás das preocupações do dia-a-dia, mas se tiveres disciplina mental e dominares a respiração consciente podes melhorar muito a tua saúde.

 

Respiração Consciente

A respiração abastece o nosso corpo com oxigénio vital e o nosso espírito com prana, ou qi, a sua energia vital. Quando maximizas a tua respiração estás a maximizar o alimento, tanto do teu espírito como do teu veículo físico. Pela mesma lógica, as pessoas que estão sempre a respirar de maneira superficial não alimentam bem nem o corpo nem o espírito, e começam a definhar – tal como um pimento, sem água, começa a secar no ramo do pimenteiro. Se o teu objectivo é a melhor saúde possível, tanto física como espiritualmente, isso vai com certeza envolver a respiração consciente. Ter este conhecimento é como ter controlo de uma torneira que regula a quantidade de energia que entra no teu corpo e tu controlas esse fluxo quando decides, ou não, respirar fundo de maneira consciente.

Do ponto de vista emocional e mental, se estás com medo ou stressado sobre alguma coisa, a respiração consciente pode ser a maneira mais directa para te trazer de volta ao teu “centro”, onde readquires a paz do espírito e da mente. Afinal este é o objectivo que toda a gente procura – o estado em que o corpo está livre de dor e cheio de energia, e um sentimento de união com toda a Criação. Muitas pessoas vivem num estado constante de medo/ansiedade em vários graus e sentem uma tensão nas suas barrigas, o terceiro chakra, e um sentimento de estarem separadas de tudo o que as rodeia. Isto pode ser aliviado através do respirar consciente.

O principal é focares-te na respiração, lembrares-te de quem és como espírito e não te distraires com os desafios que aparecem a cada momento durante a tua viagem neste planeta. Se te distraires, volta a focar a tua atenção e continua a respirar conscientemente. Ninguém alcança um perfeito domínio disto logo à primeira tentativa. Isto é mais como aprender a tocar o piano: quanto mais se pratica, melhor a técnica se torna. No caso da respiração consciente, o domínio desta técnica leva ao crescimento espiritual e à saúde física. Ajuda a manter uma quase constante paz do espírito e do coração, e mantém-te longe de pensamentos e emoções negativas que pudessem tomar parte na criação da tua realidade. Se queres elevar a tua vibração a níveis mais altos, começa por praticar respiração consciente e concentra-te em abrir o teu coração incondicionalmente a toda a vida, por todo o lado.

Se não tens a certeza se respiras superficialmente ou não, começa por prestar atenção à tua respiração. Ter a consciência das coisas é o primeiro passo para a mudança. Se vires que respiras de maneira superficial, compromete-te a mudar. Talvez querias dar a ti próprio a autorização, em voz alta ou por escrito, de que podes experimentar a respiração consciente. Se não tens a certeza se a tua capacidade de respiração é adequada ou não, pega numa fita métrica e mede à volta do peito (à altura dos mamilos) sem apertar a fita com força. Expira completamente o ar, tira a medida, e mede outra vez quando inspiras ao máximo. A diferença entre o máximo de expiração e o máximo de inspiração deve ser entre 5-10 cm nos adultos. Se a tua caixa torácica não consegue expandir pelo menos nessa medida, tu não vais ser capaz de encher adequadamente os teus pulmões, porque estes só se podem expandir tanto quanto a caixa torácica deixar. Há maneiras rápidas e de efeito duradouro para se melhorar o funcionamento da caixa torácica. Estás à vontade para me contactar (Dr. Steven Smith http://www.4quantumhealing.com) se precisares de ajuda com isto. Há muitas técnicas de respiração que ensino aos meus clientes.
Com as técnicas seguintes já pode começar a fazer respiração consciente.

 

Exercício 1

A respiração consciente (respiração ioga) pode ser feita em qualquer posição, em praticamente qualquer altura e qualquer sítio, sendo um tónico ideal de rápido efeito para que voltes a encontrar o teu centro. Pode ser feito mesmo no meio de um dia agitado, o que dá jeito a muita gente.

Endireita as costas, relaxa o corpo e expira. Agora, empurra a tua barriga para fora enquanto começas a inspirar. Isto dá mais espaço ao diafragma para descer, o que deixa os pulmões encherem-se mais. Depois de teres empurrado ao máximo a tua barriga para fora, inspira pelo peito; isto é: expande a tua caixa torácica ao máximo. A seguir, força a inspiração a ser ligeiramente maior; depois aguenta o ar durante 2 ou 3 segundos para evitar a hiperventilação. O processo faz-se ao contrário para a expiração: primeiro, mantendo a barriga para fora, contrai a caixa torácica. Quando a caixa torácica estiver completamente contraída, contrai depois os músculos abdominais para acabar a expiração. Repete tantas vezes quantas quiseres para te sentires com mais energia e optimismo.

 

Exercício 2

Este conjunto de exercícios ajuda a descontrair os músculos do pescoço e ombros que estejam sobrecarregados e espásticos. Quando se dá uma massagem a alguém é com naturalidade que se começa por esta área, pois a maior parte das pessoas concentram nesta área o seu stress e precisam de ajuda para aliviar esta parte dos seus corpos.

Põe-te de pé com os pés à mesma distância um do outro que os ombros têm um do outro. Centra a tua bacia um pouco “à frente” dos calcanhares para que te sintas “mais leve”. A maior parte das pessoas põe demasiado peso na parte da frente dos pés e assim fazem com que os seus corpos se inclinem para a frente. Isto causa esforço extra nos músculos da espinha que têm de trabalhar mais do que seria necessário se tivessem uma postura equilibrada. Põe os braços cada um para seu lado e paralelos ao chão. A palma esquerda deve estar virada para o céu, a palma direita virada para a terra. Coloca a ponta da língua na pequena saliência (o “cume”) do céu-da-boca que está por detrás dos dentes da frente. Quando este ponto de acupunctura é tocado com a ponta da língua, liga os seis meridianos yin com os seis meridianos yang e ajuda a passar o qi por todo o sistema de acupunctura, dando-te bastante energia durante o processo de respiração consciente.

Inspira de maneira VIGOROSA e RÁPIDA pelo nariz, e expira da mesma maneira pelo nariz. Faz isto 10 vezes, deixando passar tempo suficiente entre cada respiração para que NÃO comeces a hiperventilar e caias. A seguir repete o mesmo padrão, só que expirando pela boca em vez do nariz. Mantém a ponta da língua no cume do céu-da-boca tal como dantes. Deixa os lábios totalmente relaxados (ao oposto do que quando assobias) para que quando forces o ar a escapar-se, este passe à volta da língua e entre os lábios. Faz isto 10 vezes, de maneira a deixar tempo suficiente entre cada respiração para evitar a hiperventilação. A seguir senta-te, com a parte superior do corpo flexionada de maneira a que os braços estejam entre os joelhos, e toca nos pés. As pontas dos dedos devem tocar por baixo da planta do respectivo pé e os polegares devem estar por cima do arco do respectivo pé, virados para fora do corpo. Coloca a ponta da língua mais uma vez no cume do céu-da-boca e faz 10 respirações LENTAS e PROFUNDAS, inspirando e expirando pelo nariz. Se a tua caixa torácica estiver sem problemas, deves sentir um melhoramento depois de respirar assim 30 vezes.

 

Exercício 3

Outro maravilhoso exercício de respiração que ajuda a corrigir problemas com a postura, a expandir a caixa torácica e a lutar contra os efeitos da gravidade é o seguinte:

Põe-te de pé, com os braços descontraídos ao lado do tronco. Depois inspira profundamente, e ao mesmo tempo que inclinas a cabeça para trás, estica os braços para trás com as mãos abertas e as palmas viradas para fora. Imagina que estás a tentar que ambas as costas das mãos se toquem. Expira enquanto regressas à posição inicial. Fazer 10 vezes – devagar. Se estás a começar a sentir tonturas é porque estás a fazer as coisas demasiado depressa. Faz pausas entre respirações para evitar a hiperventilação.

As pessoas que sofrem por inspirar pouco oxigénio devido a lesões que nunca sararam completamente podem levar mais tempo até começarem a sentir os efeitos benéficos destes exercícios. Se não estás a sentir nenhuns melhoramentos, lembra-te de medir a diferença no peito entre a inspiração e a expiração. Se não houver uma diferença de pelo menos 5-10 centímetros, estes exercícios só te vão dar benefícios limitados. Tal como quando o filtro de ar do teu carro fica sujo com o passar do tempo, deixa de haver oxigénio disponível para, juntamente com a gasolina, fazer a combustão no motor. Consequentemente a performance (e eficiência de consumo) vai decrescer até que se substitua o filtro do ar e o motor comece assim a ser fornecido de oxigénio nos níveis que devia. Portanto se a tua caixa torácica está com problemas em expandir como devia, telefona-me e eu vou ajudar-te a respirar da maneira correcta, para uma melhor saúde física e espiritual!

Introdução
Respiração consciente *
Exercícios etéricos
Envio de energia positiva
Informações adicionais
Adições mais recentes