Feia ou bonita não interessa

Se fazes a tua própria orgonite, participas no gifting ou simplesmente se tiveste algum contacto com peças de aspecto menos formoso, é possível já te teres apercebido que a orgonite não quer saber se é feia ou bonita para ter o seu efeito.

Aqui estão algumas fotos das peças que fizémos durante a viagem de gifting às Canárias em 2013. Estávamos em casa da grande Maria Victoria em Lanzarote e os materiais foram o que encontrámos lá em casa ou na cidade – o resultado foi uma autêntica “orgonite de guerrilha” 😀

Apesar de ter este aspecto ela funciona perfeitamente e foi com este tipo de orgonite simples e básica que orgonizámos centenas de antenas espalhadas pelas 7 ilhas.
Um dos resultados foi o aumento da pluviosidade, tendo começado logo em Setembro, nos últimos dias da nossa viagem.

Tudo servia… copos de plástico, de papel. Claro os de papel ficavam agarrados mas também não faz mal.
Atenção que nem todo o plástico é adequado. Parece-me que o polipropileno (com as letras “PP” na base do objecto) é dos que funciona mas é questão de experimentar.

Chuva Nas Canárias

Victoria, a nossa colega das Canarias partilhou as suas impressões depois de mais de um ano desde o gifting e o seu testemunho pessoal demonstra bem o poder da orgonite para restaurar o equilíbrio. Está em espanhol mas penso que se percebe bem.

———

“Hola mis niños

Espero que os encontréis bien y llenos de nuevos proyectos.
Después de un año desde que habéis estado colocando orgonita, nos llega la lluvia intensamente que no se veía desde hace al menos que yo recuerde unos 30 años, aunque hay gente mayor que yo que dice que nunca habían visto llover tanto. Ha sido muy agradecida la lluvia ya que corrieron barrancos y se ha empapado bastante la tierra, y como esta isla es muy agradecida. El viento fue es que daño algo, pero no dada comparado con los beneficios de la lluvia.

Fijaros en el pagina facebook una fotografía de una nube que parece como si fuera un ovni, la verdad que algo extraña, apareció al principio de las lluvias que han durado dos semanas y aún chispea algo.

En Lanzarote unos días antes de las lluvias se veían desde los Cocoteros muchos chemtrails, y la verdad que me extraño mucho ya que hacía tiempo que no se veían tantos y ese mismo fin de semana comenzó a llover, jajaja !Que casualidad!. Si destacar que la zona de Lanzarote con mas lluvia ha sido el norte de la Isla, justo la que hemos trabajado más colocando orgonita, y mucho mas cerca de la Base militar de las Peñas del Chache.

Buenos mis niños

No quería dejar pasar esta ocasión de poder saludarlos y continuar con mi gratitud por lo que habéis echo por Canarias.

Un cordial saludo

Victoria”

———

Obrigado Victoria por teres feito a nossa campanha mais productiva e agradável 😉

P.S: aqui está uma notícia no El Pais que confirma as chuvas abundantes, desta feita na ilha de Gran Canaria http://www.eldiario.es/canariasahora/sociedad/lluvias-correr-barrancos-Gran-Canaria_0_326168112.html

Vídeo “Giftendo Canarias 2013” Partes 3, 4 e 5

Continuação do vídeo sobre a operação de gifting às Ilhas Canárias de Agosto-Setembro 2013. O Fran teve algum tempo livre e conseguiu acabar mais 3 partes quase de uma vez. Não está ainda tudo mas pouco falta. Disfrutem 😉

Viagem de Gifting às Canárias 2013: Algumas Observações

Eu gostaria de começar por sublinhar uma coisa que disse ao Fran (de orgonita.eu) durante a viagem. Eu disse-lhe que se 1000 habitantes das Canárias revertessem uma torre cada um, provavelmente iam fazer mais dano à rede parasítica corporativa do que nós os dois e a nossa maratona de gifting. Independentemente destas grandes iniciativas (que neste caso combinaram a boa vontade e recursos de dezenas de pessoas para nos permitir cravar mais umas estacas no coração da besta) o sucesso deste movimento de gifting estaria provavelmente muito reduzido se não fossem os milhares de pessoas anónimas que tranquilamente vão conquistando a infra-estrutura mortífera da cabala internacional, quando e como os seus meios lhes permitem.

Planear é muito importante, especialmente quando se está constrangido de movimentos num arquipélago, mas eu acho que o Fran deu bem conta do recado. A importância da logística e planeamento vai inclusive à questão de “poupamos um pouco nos tomba-torres ou vamos largar a cada Km?). Chegámos até a ficar sem dinheiro uma vez e devemos muito à nossa anfitriã de Puerto de la Cruz, que nos ajudou na altura com precioso dinheiro para a gasolina e mantimentos.

Outra coisa que não se pode sobrestimar é a perserverança. Viagens como esta tentam maximizar o tempo disponível para que se reverta o maior número de alvos possível com a orgonite disponível. Foram feitas peças extra durante a viagem, uma vez que a nossa fome de orgonite era inesgotável 😀
Também é bom ter tantos condutores quanto possível. Nós só tínhamos o Fran – é uma grande façanha ele ter conduzido aqueles quilómetros todos.

Normalmente começávamos a meio da manhã e acabávamos quando já estava escuro. É impossível de fazer gifting a partir de um carro se não se consegue ver à distância. Portanto a noite era “tempo de ir à procura de sítio para dormir”. Metemo-nos em trabalhos um par de vezes por causa de acampar. Uma vez ficámos num sítio muito bonito num bosque das montanhas centrais de Gran Canaria mas o caminho era demasiado inclinado para o carro, que estava carregado… tivémos que o esvaziar, rezar e eu empurrava enquanto o Fran carregava no acelerador. Parece que foi por um fio que nos livrámos de ficar lá presos – é muito bom sentir a ajuda dos Operadores (espíritos benéficos) em alturas como esta 😊

Eu não estou a brincar quando chamo isto de maratona. Uma campanha de um mês desgasta e testa a pessoa tanto fisicamente como de outras maneiras. Também tem o seu quê de libertador porque tudo o que não está relacionado com o trabalho de gifting como que perde o interesse. Praticamente tudo o que se faz é giftar, comer, dormir, vira o disco e toca o mesmo. Claro, também vimos belas paisagens, conhecemos pessoas interessantes e com ideias comuns, e tivémos até umas mini-férias em Lanzarote, graças à nossa anfitriã e companheira de gifting Maria Victoria 😉

De modo geral não tivémos problemas nenhuns durante a viagem. Nada de peças do carro partidas, pelo menos nada essencial. No entanto o pobre “rapaz” (chamávamos “rapaz” ao carro) estava aos poucos com as peças de plástico e a electrónica a desfazerem-se em cacos. O motor esteve sempre bombar – é Mercedes ahah.

Os parasitas também não nos causaram mal nenhum. Don, Carol, Dooney e Stevo mantiveram-se a observar a nossa situação e também ajudaram muito através da via etérica, embora nós não nos apercebêssemos disso na altura. A Dooney relatou que eles sentiram que nós estávamos muito bem protegidos pelos nossos amigos Operadores.
Quando alguém agarra esta responsabilidade também há certas “benesses” que estão incluídas, uma delas é ter um alto nível de protecção das dimensões superiores – é óptimo estar na mesma “equipa” desses seres 😎

Provavelmente a altura que nós tivémos um situação mais apertada foi na Alfândega na Espanha Continental, antes de embarcarmos no navio que nos ia levar às Canárias. Eu acho que o Fran já contou esta história mas basicamente o homem encarregado de inspeccionar o carro achou muito estranho que nós estivéssemos a carregar tal quantidade de… material desconhecido. Depois de algumas explicações sobre o orgone e a força-vital nós oferecemos-lhe orgonite. Acontece que o agente da Alfândega até tinha preocupações com radiações electromagnéticas, portanto ele, contente, aceitou a nossa oferta e isso abriu-nos as portas para o embarque.

Viagem de Gifting às Canárias 2013: Fotos

jerez sylphs

Silfos a dar as boas vindas em Jerez De La Frontera.

 

fran ship deck

A vida dos gifters remediados inclui umas noites a dormir no convés.

 

lanzarote-fuerteventura-grancanaria 1

[Lanzarote/Fuerteventura] Logo ao início reparámos como as nuvens estavam a ser impedidas de desenrolar o seu curso natural. Isto era mais notório quando se via em cada ilha uma cobertura de nuvens que ia desde o mar até precisamente à linha da costa – aqui parava, como se estivesse lá um sinal de sentido proibido. Às vezes acontecia que as nuvens ficavam como que presas em determinados sítios, já em terra, como se vê nesta imagem. Este sistema artificial de estagnação iria ser substituído por um fluxo muito mais saudável antes de acabarmos a expedição de gifting.

 

lanzarote-fuerteventura-grancanaria 2

lanzarote-fuerteventura-grancanaria 3

Ao início não tínhamos muito tempo para fazer gifting a antenas que estivessem fora do caminho pois queríamos chegar rapidamente à ilha de El Hierro devido a particularidades com o serviço de ligações inter-ilhas. Entretanto íamos marcando-as no mapa.

 

la gomera military base 1

la gomera military base 2

la gomera military base 3

la gomera military base 4

la gomera military base 5

la gomera military base 6

la gomera military base 7

la gomera military base 8

[La Gomera] Aqui estão algumas fotos duma base militar meio acabada e das suas antenas. As Canárias às vezes pareciam o sítio mais bizarro à face da Terra.

 

religious statue 1

religious statue 2

Mais coisas estranhas – um fio de cobre grosso vai desde a base da estátua até à coroa.

 

la gomera more antennas 1

la gomera more antennas 2

la gomera more antennas 3

Mais antenas e retransmissores. Nessa noite iríamos encontrar, quase por milagre e já muito tarde, um sítio improvisado quase perfeito para acampar, bem no meio do parque nacional. Com as suas próprias “torres da morte”, que nós giftámos antes de ir dormir 😎

 

hierro masonic eye 1

hierro masonic eye 2

[El Hierro] Reparámos em vários sinais óbvios dos parasitas durante o percurso. Tenho pena de não ter fotografado nem sequer um dos murais, verdadeiramente doentios e feitos ao modo da cabala, que se encontram nas ilhas de El Hierro, La Gomera, La Palma. Tenho a certeza que foi a mesma pessoa que os fez mas infelizmente não encontrei nenhum exemplar na internet.

 

pyramid and plaque 1

pyramid and plaque 2

Nem é preciso dizer mas cada sítio que cheirasse a ratazana levava com orgonite 😉

 

ashtray

O logótipo interessante de uma cerveja num cinzeiro. As 7 ilhas Canárias provavelmente têm tantos túneis e bases subterrâneas quanto é possível a um arquipélago vulcânico que serve na condição de colónia da cabala internacional.

 

half-made boat

Isto é o que acontece a um barco meio montado. Nem é bom para viajar nem para navegar – um exemplo de como não de deve usar um barco insuflável (aprendemos a lição) 😕

 

la palma mirador 1

la palma mirador 2

[La Palma] Como é que combina o turismo com tecnologias para causar lavagem cerebral/cancro/seca? Simples! É só asfaltar o caminho que vai desde a estrada até ao monte onde estão as torres da morte. Estes parasitas são cá uns empresários…

 

geodesic vertex

Chamam a isto “vértices geodésicos” e são supostamente usados para fazer mapas. Também havia outros que eram muito mais pequenos, em metal e pintados de preto. Algumas destas coisas estavam em pontos energéticos, normalmente no topo de montes ou locais elevados e por vezes ao pé, ou no topo, de uma pilha de pedras.

 

punta de teno 1

punta de teno 2

[Tenerife] Farol de Punta de Teno.

 

no trespassing

Vimos muitos avisos destes: “Proibido entrar”, “Proibido Passar”, até vimos vários avisos com “Perigo: Abelhas” no meio de paisagem desértica. No parque do Teide vimos um que dizia “Perigo: Treino de Cães” e o cão tinha a figura de um doberman por isso pusemo-nos a gozar que estavam por lá tropas SS 😛 Para além dos avisos honestos é claro que eles por vezes usam esta técnica para tentar impedir as pessoas de ir meter o nariz.

 

tenerife juicy targets 1

tenerife juicy targets 2

tenerife juicy targets 3

tenerife juicy targets 4

Miam Miam que belas presas!

 

antenas fuera

Algumas pessoas locais eram mesmo contra as antenas. Encontrámos até um par de iniciativas para as remover. O placard da direita diz “antenas + governo local = cancro”

 

santa cruz area 1

santa cruz area 2

santa cruz area 3

Algumas torres de montanha ao redor de Santa Cruz. Se bem me lembro não giftámos a maior parte por estarmos com pouco tempo e ainda termos muito da ilha para fazer.

 

sylph

Depois de alguns dias de gifting apareceu o primeiro silfo 🙂

 

puerto de la cruz 1

puerto de la cruz 2

puerto de la cruz 3

Antes e depois. Fotos tiradas ao longo de uma semana. (1)ao chegar; (2)depois de algum gifting e antes de fazermos o CB (cloudbuster) para a nossa anfitriã; (3)depois de fazermos a maior parte do gifting na ilha e de termos construído um CB… choveu! 😉

 

pico de las nieves 1

pico de las nieves 2

[Gran Canaria] Não fizemos muito gifting em Gran Canaria mas pelo menos aplicámos orgonite em alguns sítios importantes como esta base militar e as mais de 20 torres que estavam nas proximidades. Este foi um de vários locais em Gran Canaria que sentimos já terem sido parcialmente giftados. Portanto acho que fomos o último prego no caixão eheh.

 

tragsa

A Tragsa é uma empresa privada envolvida num monte de projectos de “desenvolvimento e sustentabilidade”. Encontrámos muita gente da Tragsa, assim como muitos guardas florestais, especialmente nas ilhas de Hierro, Gomera e La Palma.

 

gran canaria port sky 1

gran canaria port sky 2

gran canaria port sky 3

gran canaria port sky 4

Na altura de irmos embora de Gran Canaria estávamos um pouco desapontados porque íamos embora da ilha tendo feito menos gifting do que queríamos devido à falta de tempo e de orgonite. Achámos curioso pois o céu começou a ficar feio e cheio de Orgone Mortífero e concordámos que as ratazanas estavam a querer fazer-nos sentir impotentes. Nesta altura o Fran tem a ideia de giftar o porto onde estávamos com uma carrada de orgonite 😉 As 4 séries de fotos foram tiradas mais ou menos a cada 20 minutos. Todas essas fotos podem ser vistas aqui.

 

fuerteventura water networks

[Fuerteventura parte 1] Outra estrutura esquisita, parte de uma rede de abastecimento de água. Uma rede de abastecimento de água no deserto?! Uma das contradições que encontrámos durante a viagem foi que por um lado havia queixas pela falta de água, por outro lado vimos e ouvimos vários depósitos e canais de água potável e eles não estavam vazios, pelo contrário. Pelo menos levaram com chuva este inverno portanto agora não há desculpas 😛

 

lanzarote first days

[Lanzarote] Em Lanzarote fomos super bem recebidos pela nossa anfitriã Maria Victoria, que até veio giftar connosco várias vezes. Aqui estão mais antenas – vocês já devem estar enjoados. Fazer este tipo de trabalho de maneira intensa durante um longo período de tempo é uma autêntica maratona, no entanto vale bem a pena, especialmente quando se começa a testemunhar os frutos positivos do trabalho.

 

a bay in lanzarote

Uma das poucas fotos turísticas.

 

penas del chache 1

penas del chache 2

penas del chache 3

penas del chache 4

Mais instalações militares. Nunca tínhamos antes visto antenas como as destas duas fotos de baixo.

 

mirador del rio 1

mirador del rio 2

mirador del rio 3

mirador del rio 4

mirador del rio 5

mirador del rio 6

O antigo pequeno forte militar Mirador del Rio, que tinha partes subterrâneas que não chegámos a explorar por não termos levado lanternas.

 

needle antenna

Uma das antenas “agulha”, que uma vez encontrámos em grande número, umas a seguir às outras.

 

lanzarote mountain arrays 1

lanzarote mountain arrays 2

lanzarote mountain arrays 3

Mais torres de montanha. A imagem do meio mostra o impressionante Monte Mina que, juntamente com as instalações militares com as antenas estranhas, já tinham sido parcialmente giftadas por Maria Victoria e o seu grupo.

 

timanfaya

O símbolo do parque de Timanfaya.

 

mount mazo

Cravando Tubos de Terra em condições pouco propícias. Muito do chão estava duro mas nós aprendemos a identificar rapidamente onde podíamos aplicar os Tubos.

 

arrecife power plant

A central eléctrica de Arrecife.

 

housing development 1

housing development 2

[De volta a Fuerteventura] Uma urbanização em construção com a sua estrada bloqueada por dois polícias. Mais um pormenor estranho. Passámos várias outros projectos de construção em Fuerteventura nesses dias e não vimos polícia em nenhum deles.

 

last antennas 1

last antennas 2

As últimas antenas fotografadas nesta viagem. Nos 2 dias entre estas 2 fotos a minha máquina não funcionou e tivemos uma bela chuva durante um dia. Chuva. No deserto. Em Setembro. 😀

 

home greeting

Na volta para casa havia mais silfos a dar as boas-vindas 😉